9.2.08

Saudade





aquela que atormenta a alma e afaga o desejo
sobre a folha, dedilham os dedos a caneta
quanto o coração quer e não vejo
emerge da pensamento e a boca grita,
não sou asceta!

Saudades de ti,
do meu e do teu sonho azul
em néctar de baco gelado
da nossa pele tocada
ao nosso amor tombados
das velas erguidas no vento
nossos beijos saciados
de teu gosto cor laranja
silvam os olhares esquecidos
de filamentos curtos
teu amor, se esbanja.

5 comentários:

um sonho disse...

saudades de ti...
quando o coração quer e não te vejo...
soprou o vento do sul...
ficou apenas o sabor doce do teu beijo...

(e)ternamente tua

Sha disse...

Do fundo de mim te agradeço o carinho. Com todo o alcance da alma, te entrego o meu abraço, pleno de sentimento num amplo e terno xi-coração.
Obrigada!!

Bom fim de semana e um beijo imenso!
Sha

Paula disse...

Olá meu doce Amigo!

Também eu tinha saudades de ler.
De te sentir perto nas palavras.

um beijo Meu
Tininha

Esyath disse...

Escrevinhador

finalmente pude vir te ler com calma...
Saudade é uma amiga que atormenta, porque faz com que lembremos que perdemos o que não possuiremos novamente... Saudade é uma amiga que nos faz respeitarmos os momentos que vivemos...
Saudade... um sentimento confuso as vezes... sábio as vezes... doloroso as vezes... é tanta coisas...

Beijos (Des)conexos!

Miguel disse...

Pena que neste, tarde em reaparecer mais palavras quantas as que li até aqui.

Um abraço